Bandido se passa por técnico e rouba ventiladores pulmonares de pacientes com covid

O equipamento levado pelo criminoso serve para auxiliar os pacientes com insuficiência respiratória, ou seja, que não possui capacidade de respirar sozinho.

Repórter MT

O crime de furto mediante fraude ocorrido no Hospital Regional de Cáceres (228 km a oeste de Cuiabá) foi esclarecido pela Polícia Civil, nesta quarta-feira (03), em ação conjunta da Delegacia de município e Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá.
O autor dos fatos foi identificado e detido na cidade de Cáceres e os equipamentos furtados foram recuperados em uma casa em um condomínio residencial, no bairro Jardim Santa Amália, na Capital. 
O furto ocorreu na quinta-feira (25) quando o suspeito se apresentou como técnico em manutenção de equipamentos hospitalares, dizendo que faria um orçamento relativo a serviços que seriam prestados à unidade de saúde.
Aproveitando o momento de ausência de um funcionário do setor, o acusado subtraiu alguns equipamentos do Hospital, entre eles um monitor multiparâmetro da marca Cixtal e dois ventiladores pulmonares.
O fato foi comunicado à Polícia Civil apenas na segunda-feira (01.03), sendo imediatamente iniciadas as diligências para prisão do suspeito e recuperação dos objetos.
Durante as diligências, os policiais de Cáceres conseguiram identificar e prender o homem e também descobriram que ele possuía uma residência em Cuiabá, onde objetos furtados poderiam estar escondidos.
Com base nas investigações, o delegado de Cáceres, Miguel Macário Lopes, entrou em contato com a equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Cuiabá solicitando apoio para a diligência.
No endereço indicado, os policiais da Derf encontraram os equipamentos subtraídos que foram apreendidos e encaminhados para delegacia para as providências cabíveis.
Segundo o delegado, como já não estava em situação de flagrante o suspeito responderá em inquérito policial pelo crime de furto mediante fraude.
“As investigações estão em andamento para identificar outros possíveis envolvidos no crime”, disse o delegado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *