Homem negro é espancado e morto por seguranças do Carrefour na zona norte de Porto Alegre

A vítima foi espancada pelos seguranças do supermercado por não aceitar ser retirada da loja.
Durante a noite desta quinta-feira (19), um homem identificado como João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado e morto por seguranças do supermercado Carrefour e um PM temporário. O caso aconteceu no bairro Passo d’Areia, na zona norte de Porto Alegre. 
Segundo informações de testemunhas, ele teria discutido com os agressores. O policial militar e o segurança do supermercado foram presos em flagrante e autuados por homicídio qualificado. 
A Brigada Militar informou que a confusão teria iniciado no caixa do Carrefour, envolvendo o homem e uma funcionária. De acordo com informações do portal GZH, a vítima teria ameaçado agredir a mulher, que chamou os seguranças.
Dois funcionários colocaram João Alberto Silveira Freitas para fora do supermercado. A BM afirma que a vítima não aceitou a remoção e passou a brigar com os funcionários. Já as pessoas que estavam no local, informaram que ele foi seguido pelos seguranças, que começaram a agredir ele na saída do supermercado. Em vídeos, que circulam pelas redes, o homem aparece sendo brutalmente agredido na frente do Carrefour de Porto Alegre.
O Carrefour emitiu uma nota lamentando a situação. Segundo o pronunciamento o contrato da empresa, que responde pelos seguranças autores da agressão, será rompido. Confira o comunicado na íntegra:
“O Carrefour informa que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário.
O Carrefour lamenta profundamente o caso. Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente.
Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *