Suspeito morto com outros 5 no confronto com BOPE era acusado de explodir presídio em Cuiabá

Um dos suspeitos, de 20 anos, que foi morto pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) tinham várias passagens criminais. Uma delas, foi preso por tentar explodir o muro de um presídio em Cuiabá. Ele também tinha processos por roubo de carro, furto à agência bancária, tráfico de drogas, organização criminosa e corrupção ativa.
No mês passado, chegou ser preso ao ser flagrado pela Polícia Militar trafegando em alta velocidade e sem habilitação. Ele chegou ofereceu a moto e R$ 750 aos militares para evitar a prisão. Foi levado à delegacia, mas solto em seguida e o  caso arquivado no dia 7 deste mês.
Um soldado, de 30 anos, que estava lotado no 3º Batalhão de PM e o filho de um sargento também estão entre os outros três que foram mortos, na última quarta-feira de madrugada, no bairro Itamaraty, próximo ao condomínio Belvedere, em Cuiabá. Ainda de acordo com a assessoria, a Corregedoria Geral de Polícia Militar que serão instaurados dois procedimentos para investigar a ação.
Uma delas será o Inquérito Policial Militar por se tratar de mortes por intervenção de agentes do Estado, terá como finalidade a apuração da ação policial que resultou nos óbitos. Já o outro investigará o furto da pistola .40, que estava cautelada pelo sargento e que pode ter sido furtada pelo filho morto no confronto.
Só Notícias/Gazeta Digital (fotos: assessoria)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *