Polícia investiga se recém-nascida foi raptada em MG e levada para MT ou doada pela mãe

A mãe biológica da menina está em Cuiabá e teria vindo para buscar a filha. Suspeita de rapto teria dito que a mãe doou o bebê, por não ter condições de criar, segundo polícia.

 

Maria Gedislene dos Santos, mãe de uma recém-nascida que teria sido raptada no dia 18 de julho, em Minas Gerais, e trazida para Cuiabá, também está na capital e teria vindo para pegar a filha de volta, segundo a polícia.

De acordo com o delegado Frederico Murta, Gedislene teria vindo para Mato Grosso, na sexta-feira (21), para buscar o bebê. E, pouco antes da abordagem dos policiais, na rodoviária, a polícia observou, de longe, que as duas mulheres conversaram, antes que Patrícia entregasse a menina para à mãe.

Segundo a polícia, Gedislene teria dito que Patrícia Severino da Silva, de 28 anos, teria se aproximado e ganho a confiança dela, logo após o parto e, num momento de descuido da mãe, teria raptado a criança.

Porém, a versão de Patrícia é a de que Gedislene teria dado a recém-nascida a ela, alegando que não teria condições financeiras de criar a menina. Porém, teria se arrependido e ligado para Patrícia pedindo a filha de volta.

Patrícia foi presa no estacionamento do terminal rodoviária e deve passar por audiência de custódia ainda neste sábado (21).

A polícia continua investigando o caso para comprovar a relação entre as duas mulheres e saber se a criança foi mesmo raptada.

O fato foi comunicado ao Ministério Público e Juizado da Infância e Juventude da capital.

O caso

A recém-nascida tem, aproximadamente, 15 dias de vida. De acordo com a certidão de nascimento, ela nasceu no dia 5 de julho, em Santa Rita do Sapucaí (MG). A menina teria sido retirada da casa da mãe no dia 18 de julho.

Segundo a polícia, a mãe foi quem procurou a polícia para informar que a suspeita tinha levado a filha de dentro da sua casa. Após identificarem Patrícia, a polícia de Minas Gerais descobriu que ela há já havia sido presa em Rondônia por fato semelhante.

Fonte – G1MT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *